• Grupos religiosos na época de Jesus

    O ministério terreno de Jesus foi cercado por movimentos de grupos filosóficos, políticos e religiosos que exerciam forte influência na vida do povo. Quando examinamos as páginas das Escrituras, mais especificamente os evangelhos, deparamo-nos com vários grupos religiosos. Alguns são bem conhecidos, como escribas, fariseus, sacerdotes e saduceus. Além desses, houve outros que, apesar de não terem o mesmo destaque, participaram de alguma forma da vida e ministério de Jesus, como herodianos, samaritanos, publicanos e zelotes.

    Escribas

    Os escribas ficaram conhecidos nas páginas do Novo Testamento como doutores da Lei por serem profundos conhecedores das Escrituras. Eles não podem ser estritamente definidos como uma seita, mas sim, membros de uma espécie de “academia” dos tempos bíblicos; por isso, se sentiam no direito de interpretar a Lei para o povo judeu.

    Fariseus

    “Fariseu” deriva de um vocábulo hebraico que significa “separado”. Denomina um grupo de judeus extremamente apegados à Torá, o livro sagrado dos judeus. Formavam, entre o povo judeu, uma espécie de comunidade à parte. Eram a elite do povo. Não se misturavam. Escribas e fariseus eram simpatizantes entre si. Há fortes indícios de que alguns escribas eram também.

    Sacerdotes

    A palavra “sacerdote”, em português, vem do latim sacer e significa “sagrado”, “separado”. Os sacerdotes eram ministros religiosos, habilitados para participar e conduzir as cerimônias religiosas de culto.

    Saduceus

    “Os saduceus compunham uma das mais importantes e influentes seitas judaicas, muitas vezes em oposição tanto política quanto teológica aos fariseus. Esta seita era amplamente constituída pelos elementos mais ricos da população. (…) Entre seus componentes se encontravam os sacerdotes mais poderosos, mercadores prósperos e a classe aristocrática da sociedade” (R.N. Champlin, Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia, vol. 6, p.30).

    Herodianos

    Os herodianos formavam mais um partido político do que um grupo religioso. Eram assim chamados por serem partidários assalariados da dinastia de Herodes. Herodes, o Grande, tentou romanizar a Palestina em sua época.

    Mesmo sendo caracterizados como uma associação ou grupo político e tendo a antipatia do povo, os herodianos mantinham contato direto com os saduceus numa manobra política para eliminar Jesus.

    Zelotes

    Zelote é uma palavra grega que significa “zeloso”. Os zelotes tinham um intenso zelo por Deus (At 21.20). Era um grupo religioso com marcado caráter militarista e revolucionário que se organizou opondo-se à ocupação romana de Israel. Também eram designados sicários (sanguinários), devido ao punhal que levavam escondido e com o qual atacavam os inimigos. Não hesitavam em usar a força, a violência e as intrigas para alcançar seu objetivo, que era libertar a nação de Israel do jugo estrangeiro.

    Temos o registro bíblico de que antes de ter-se convertido e ter sido chamado ao discipulado cristão, um dos doze apóstolos de Jesus, Simão, o Zelote, havia pertencido a esse partido revolucionário, que se caracterizava pelo fanatismo religioso.

    O fato de Jesus ter convidado um membro desse grupo não significa que tinha intenção de promover uma revolta contra o império, mas sim de mostrar ao povo da época, bem como das gerações posteriores, que Sua mensagem era dirigida a todas as classes, fossem elas políticas, econômicas ou étnicas.

    Publicanos

    Costumava-se dizer: “Só os publicanos são ladrões”. Podemos afirmar sem medo de errar que na época de Jesus a profissão de publicano era a pior. Eles eram comparados aos pecadores da pior espécie. Quando um judeu exercia esse triste ofício, e, sobretudo, quando cobrava de seus irmãos o imposto destinado a Roma, era tratado com enorme desprezo.

    Os essênios

    Os essênios eram um grupo religioso entre os judeus, que tinha sua própria interpretação das Escrituras e queria manter a pureza do judaísmo. Eles eram uma comunidade bastante fechada e alguns se isolavam no deserto. A Bíblia não fala sobre os essênios.

    Os essênios surgiram por volta do século II a.C. e ainda existiam no tempo de Jesus. Eles eram contra a mistura do judaísmo com valores gregos e queriam se afastar da influência pagã de outros povos. Alguns essênios viviam nas cidades, entre outros judeus, mas outros eram mais radicais e formaram comunidades no deserto, com pouco contato com outras pessoas.

    De acordo com os historiadores dessa época, as leis dos essênios eram muito rígidas e valorizavam a comunidade, a partilha, a pureza e a dedicação a Deus. Eles tinham várias restrições alimentares e tentavam limitar seu contato com outras pessoas, para não serem contaminados com outras filosofias. Alguns estudiosos acreditam que os essênios escreveram os manuscritos do Mar Morto.

    Embora eram conhecidos no tempo de Jesus, a Bíblia não faz nenhuma referência aos essênios. Eles não se envolviam na vida pública e provavelmente se mantiveram afastados de Jesus e seus seguidores.

     

     

     

Comentários são fechados.