A igreja

A igreja como instituição física, com seus templos e os seus bens, é criação humana. Quando Jesus falava da igreja Ele se referia aos cristãos, porque a igreja é o corpo de Cristo, sendo Ele mesmo a cabeça e cada um de nós um de Seus membros, que juntos formam o corpo. “… Cristo é a cabeça da igreja, sendo ele próprio o salvador do corpo”. (Efésios 5: 23), “E ele (Jesus) é a cabeça do corpo, da igreja;…” (Colossenses 1: 18), “… e na minha carne cumpro o resto das aflições de Cristo, pelo seu corpo, que é a igreja”. (Colossenses 1: 24). Somos onde Ele verdadeiramente habita. Portanto, a igreja nada mais é do que um termo dado a união de todos os membros do corpo de Cristo, ou seja, de todos os Seus seguidores, pode-se então dizer que igreja é o coletivo de cristão. Por isto é que chamamos de igreja qualquer local onde ocorra a congregação do povo de Cristo. Esta é a razão pela qual o homem tende a confundir e achar que a igreja significa o prédio, a construção, a estrutura física e material. Isto é engano, tanto que a igreja pode se reunir numa praia, num campo, num monte, ou em qualquer outro lugar, inclusive a céu aberto. Outro engano muito comum é achar que a igreja é representada pelo Vaticano. Na verdade, quem a representa somos nós, cristãos, devendo ter o clero, em qualquer que seja a denominação religiosa cristã, a função exclusiva de apascentar, instruir e orientar o povo a buscar O Senhor individualmente, para que todos criem uma intimidade pessoal com Ele, sendo esta construída através da oração (feita com o próprio entendimento da pessoa e não através de rezas repetitivas) e do conhecimento das escrituras sagradas. O apóstolo Paulo disse aos anciãos da igreja “Olhai, pois, por vós, e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue.” (Atos 20: 28).

O papel da igreja enquanto instituição religiosa é o de educar o povo de Cristo, conforme Jesus falou: “Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador (Espírito Santo) não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei. E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir (profecias).” (João 16: 7, 8 e 13).

“Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho; E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si.” (Atos 20: 29, 30)